A Garota de Jeans

dez 30, 2012   //   by admin   //   Sem comentários

Tarde abafada em Belo Horizonte, mês de agosto, umidade do ar 22 graus próxima de clima desértico. Voltando para casa na Cristiano Machado cheia de obras, transito infernal, resolvo parar no Posto X para abastecer e tomar uma água que ninguém é de ferro.
Estaciono ao lado da bomba e o frentista atende solicito.
-  Completa, por favor, e verifique óleo e água.
Enquanto isso vejo um carro estacionar na área de conveniências, é como chamam a lanchonete e outros penduricalhos que os postos de gasolina montam para aumentar o faturamento. No meu tempo posto de gasolina era posto de gasolina, armazém era armazém e farmácia era farmácia. Mas voltemos ao carro que acaba de estacionar. Dele descem uma senhora de meia idade, bonita, bem vestida e uma garota de jeans, teria seus 20 e poucos anos. Corpo esbelto, malhado de academia talvez e barriguinha de fora…muito sensual mesmo.Entram na lanchonete. Voltam pouco depois, mãe e filha ou sobrinha, neta não pode ser a diferença de idade é pouca para isso. Talvez mãe e filha voltando de uma estafante busca por um local para festa de formatura ou coisa assim. Na verdade a garota é linda e sensual. Como escreveu o poeta Vinicius de Morais “quanto mais velho nos ficamos, mas lindas as garotas ficam”, certíssimo o poeta que deve estar no purgatório, sim porque no inferno tenho certeza que não esta e o céu é muito enfadonho para ele. Deve estar lá em companhia de meu amigo Sandy, minha amiga Jane e tanta gente animada que passou por aqui e se foi.
-  O senhor vai pagar com dinheiro ou cartão.
Era o frentista me tirando dos devaneios. Entrego o cartão e vejo a garota de jeans sumir na Cristiano Machado, barulhenta, cheia de obras e transito infernal.

Deixe um comentário