Ao meu pai

dez 30, 2012   //   by admin   //   Sem comentários

AO MEU PAI, Júlio Baldim, PELO 86° ANIVERSÁRIO

Vejo que você…

Já não enxerga bem

Já não anda bem

Já não dorme bem

Já não ouve bem.

Que você

Não está bem

Que você

Está perto dos cem

Que você

Está sem…

Sem expectativa

Sem ânimo

Sem esperança.

Mas sinto que você…

Se sente capaz

Se sente em paz.

Se sente demais.

Sinto que seus olhos

Já não acompanham

Os movimentos das mãos.

Sinto que suas pernas

Já não obedecem.

Aos comandos do cérebro.

Sinto que seu corpo

Já não desfruta mais

Do vigor da juventude.

Mas é belo!

É lindo!

É herói!

Você tem me falado

Você tem me mostrado

Você tem me avisado

Você tem suportado:

O peso dos anos

O preço da vida

A falta de amor.

Usando sua dignidade

Sua sabedoria

Sua compreensão,

Você está buscando

Cada vez mais a Deus

Você está revendo

Cada vez mais seus conceitos

Você está se sentindo

Cada vez mais direito

Você está abrindo

Cada vez mais o seu peito.

Pai,

Há tanta coisa para dizer ainda,

Você para mim…

Eu para Você.

Que o tempo nos dê este tempo

Antes que o tudo

Se transforme em …nada, em branco.

Sinto por muitas coisas…

Queria tanto

Nunca precisar dizer…

Que, sinto muito!

MAGNO 02/07/2006

Deixe um comentário